segunda-feira, 20 de maio de 2013

Otimizando o tempo de produção!

Pressa e qualidade são palavras distintas que nunca devem estar juntas, é quase impossível se obter alta qualidade com prazo de tempo insuficiente ou fazendo alguma coisa rápido de mais. 

Na saboaria não é diferente, todos os processo exigem tempo, seja para separar os materiais necessários, ou para fazer os cálculos de cada receita, para derreter e misturar os óleos, fazer a solução cáustica, esperar tudo estar na temperatura ideal, etc... 


Aprendi em outra área que atuo, que a otimização e o gerenciamento do tempo se bem feitos podem trazer benefícios para qualquer área de nossa vida, e se trabalho com isso porque não usar estes conceitos na saboaria? Pois bem, fizemos uma reflexão e analisamos todo o processo fabril passo a passo.

Não preciso dizer que a mistura dos óleos e a preparação da solução cáustica são o gargalo do processo, não porque demandam muito tempo para serem manipulados, mas pelo tempo de espera necessário para que atinjam a temperatura ideal de uso. Estes dois processo são responsáveis por 2/3 do tempo empregado na fabricação de um sabão e apenas 1/3 é utilizado na preparação do local de trabalho, equipamentos de segurança (sempre importante), ingredientes a serem utilizados, e limpeza dos equipamentos. Só deixamos de fora o corte porque depende muito de cada receita e do tempo de secagem que elas necessitam. 


Pois bem, como podemos otimizar estes 2/3 de tempo? Pesquisamos e perguntamos a alguns químicos amigos e nos foi relatado que poderíamos fazer a solução caustica com antecedência, não precisamos fazer na hora de fazer o sabão, basta saber que receita vai usar e fazer a solução com a concentração indicada na receita. Aqui fizemos em três concentrações diferentes: 28, 30 e 32% assim atendemos a mais de 90% de nossas receitas (mas lembre-se de escrever ou etiquetar o local que vai guardar a solução com sua concentração especificada para que não haja possibilidade de troca na hora que for usar), da mesma forma procedemos proceder com os óleos, misturamos todos os óleos nas proporções indicadas que usamos em cada receita e colocamos em recipiente de cinco litros, assim na hora de fazer determinada receita, basta pegar a mistura de óleos que se deseja e a solução caustica adequada. 

Parece bobagem, mas os óleos retêm muito o calor e demora algumas horas para chegar a temperatura desejada, o mesmo acontece com a soda cáustica. Fazendo desta forma temos a possibilidade de eliminar este tempo de espera, esquentar os óleos é cinco vezes mais rápido que esperar que eles esfriem. E quando se produz de forma planejada o tempo ganho significa maior produtividade e consequentemente maior lucratividade, além de sobrar tempo para outras atividades!


A organização do espaço é outro item muito importante, devemos estar com tudo bem organizado, local para pigmentos e corantes (arrumados por ordem alfabética ou potes numerados), local para essências e óleos essenciais, potes e medidores, moldes... enfim devemos ter nosso local de trabalho devidamente arrumado e ORGANIZADO! imagine que no meio do processo fabril você não consegue encontrar o pigmento vermelho vivo que queria para fazer os sabonetes de coração! vai usar outra cor? vai interromper o processo para procurar o pigmento vermelho? pois é, isso tudo gera STRESS e termina atrasando todo o seu trabalho. Por isso mesmo friso bem que além de arrumado seu local de trabalho deve estar organizado.

Fazer um chek list ajuda muito, escreva tudo o que vai precisar em cada uma de suas receitas e coloque esta ficha que chamaremos de ficha técnica em uma pasta organizadora e sempre que for fazer esta receita, pegue esta ficha técnica e confira tudo o que sera necessário, ingredientes, material de apoio, material de segurança, utensílios específicos e só depois disso comece a manipular seus ingredientes. Parece bobagem né? mais isso ajuda-rá a tornar seu tempo mais produtivo e você se torna-rá mais disciplinado.


Sempre acreditamos que sabemos tudo que vamos fazer, esta tudo na cabeça, tudo decorado, mas acredite,  não é bem assim, nossa memória falha e se fizermos assim estaremos sujeitos a perder tempo buscando as presas algum item que terminamos por esquecer ou em ultimo caso perdendo o próprio trabalho que foi iniciado sem nenhum planejamento. Fazer um produto de forma artesanal não significa que não podemos ter planejamento, muito pelo contrario, onde temos limitações de produção (afinal fazemos tudo com nossas mãos) apesar de conseguirmos fazer nossos produtos mesmo sem estarmos tão organizados, precisamos de organização e gestão sobre o tempo para que tenhamos uma produção maior e mais satisfatória.

Pense nisso, reorganize o seu modo de trabalho, aprimore o processo fabril e colha os frutos. 

Espero ter ajudado com estas dicas. Por hora é isso, até a próxima!

10 comentários:

  1. Dicas ótimas, eu tenho um caderno de "receitas" dos sabonetes,com medidas, ingredientes, data de fabricaçao, formato, cor, enfim, todas as informaçoes do lote produzido, depois fotografo o sabonete e incluo no meu catalogo de produtos. E tenho no atelie o local para cada tipo de material, mas separo todos já pesados/medidos sobre a bancada para a produçao. A organizaçao é o segredo para nao errar e otimizar o tempo de preparo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Monaliza, a ideia é essa mesmo, organizar nosso local de trabalho para ganhar tempo, ha algum tempo não faço mais minha solução cáustica na hora de fazer o sabão, já deixo ela pronta nas concentrações que mais uso, o mesmo faço com meus óleos, nada de derreter manteiga, estearina, palmiste, etc... na hora de fazer o sabão. Tudo esta derretido e misturado em baldes de cinco litros.

      São pequenas atitudes como estas que otimizam o tempo de produção, hoje preparo um lote em menos de trinta minutos, antes não levaria menos de três horas.

      Parabéns vejo que esta no caminho certo!

      Excluir
  2. significa que utilizar a lixívia em temperatura ambiente não altera o produto final? E os óleos não solidificam depois de derretidos e frios?

    ResponderExcluir
  3. Bárbara, vamos por partes...

    1- Usar a lixivia em temperatura ambiente não vai alterar em nada seu produto final, pode retardar um pouco o processo de saponificação e até suavizar a fase gel durante o processo de saponificação, porem não vai influenciar no resultado final do produto.

    2- Os óleos depois de misturados tendem a permanecerem no estado liquido, a não ser que tenha uma concentração superior a 50% de manteigas e óleos duros o que acho pouco provável. este processo de preparação antecipada vai reduzir seu tempo de preparação em pelo menos 75%.

    Espero ter ajudado.

    ResponderExcluir
  4. Idéia genial! Eu pensava que as temperaturas tinham que ser controladas para o processo de saponificação. Mas vc aquece os óleos antes de utilizar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Barbara, existem varias vertentes dentro da saboaria algumas fazem com temperaturas entre 35 e 40 graus, outros a temperatura ambiente, ha até que resfrie certos ingredientes. Ao final tudo será sabão, a reação química acontecerá de uma maneira ou de outra! a diferença (sim a temperatura diferente traz resultados diferentes) ocorrerá na fase gel, que pode ser mais ou menos intensa.

      Não tenho duvidas que esquentar óleos ou lixívia é muito mais rápido do que esperar esfriar, faça um teste!!!

      Eu geralmente faço todo o processo em temperatura ambiente e com a lixívia e a mistura de óleos prontos não demoro mais que 15 minutos para fazer meus sabonetes.

      espero ter ajudado!!!

      Volte mais vezes e sempre deixe suas considerações.

      Excluir
  5. Muito obrigada Amauri! Seu blog é um colírio, beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bárbara, quem agradece sou eu, sinto-me honrado em poder ajudar.

      Excluir
  6. Amauri, tenho esperança que neste processo que descreve com óleos e lixívia frios, a calda de sabão leva mais tempo para espessar, deixando mais margem para por exemplo fazer sabões com cores em formas como as suas, E pergunto ainda: utiliza um traço fino? dá para desenmoldar no dia seguinte e cortar 1 semana depois? ele endurece ao mesmo ritmo de quando se aquecem gorduras e livívia?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maria, Olá, bom dia ou boa madrugada, risos!

      Sim, se entendermos que uma reação química usa o calor como combustível para acelerar toda areação de saponificação, vamos perceber que quanto menos a temperatura (óleos e lixivia em temperatura ambiente ou resfriados) mais tempo teremos para trabalhar nossa mistura ou massa de sabão.

      Quando vou fazer um sabão simples sem muitos detalhes uso um traço entre fino e moderado, quando é a primeira vez que vou fazer um efeito ou mesmo quando vou usar mais de duas cores ou efeitos mais complexos uso sempre o que alguns chamar de traço de luz ou traço leve.

      O que determina com quanto tempo poderei desenformar não é o traço mas sim a concentração de NaOH. Se trabalhar com uma concentração de 28% por exemplo vou precisar entre 24 a 36 horas para desenformar, se uso uma concentração de 30% (esta é a que geralmente uso) consigo desenforma entre 12 e 18 horas.

      Como disse o que faz o sabão endurecer em mais ou menos tempo é a concentração de Lixivia, depois de pronto pode colocar sua forma em uma caixa térmica para manter o calor da reação de saponificação.

      Espero ter ajudado. Qualquer dúvida basta perguntar.

      Excluir

Ao participar de nosso Blog, você estará ajudando a um enorme numero de pessoas que estão procurando o conhecimento que você pode ter, antão participe, compartilhe!

Obrigado por deixar suas considerações em nosso Blog e volte sempre.